sábado, 3 de janeiro de 2009

CARTA AOS MEUS FILHOS

Neste início do ano de 2009, a ALTERNATIVA orgulha-se de apresentar este magnífico soneto da autoria do grande Poeta João de Castro Nunes, nosso muito querido Amigo, a quem ficamos a dever tantas e tão acariciantes palavras de estímulo ao nosso projecto. Não o fazemos como retribuição. Fazemo-lo como acto de Justiça. Como é possível que João de Castro Nunes não ande nas bocas do Povo, se faz poesia desta qualidade? Como é possível que os “intelectuais” da nossa Praça – triste praceta lusitana, cada vez mais indigente … - não exaltem a Obra de João de Castro Nunes? Por que somos tão provincianamente seguidistas ante a “ditadura intelectual” de meia dúzia de críticos falidos? É outra a nossa Cultura! CULTURA OUTRA é o nosso lema. Com João de Castro Nunes estamos com a “nossa gente”. Obrigado, Professor!

 

CARTA AOS MEUS FILHOS


Prestes a ir-me embora, filhos meus,
para encontrar-me com a vossa Mãe
que foi à minha frente ter com Deus,
isto vos digo para vosso bem:

amai tudo o que é bom na natueza,
tudo o que tem valor e qualidade,
nunca afirmando terdes a certeza
pois que ninguém é dono da verdade;

vossos pontos de vista defendei
com vigor e coragem, muito embora
sendo capazes de dizer: "Não sei!";

mas sobretudo, pela vida fora,
nunca façais papel de delatores
pelo que toca aos livre-pensadores!

João de Castro Nunes

3 comentários:

Luís Alves de Fraga disse...

Julgo que não sou invejoso... Não sou mesmo! Contudo, tenho pena de não possuir em mim essa capacidade de encontrar a harmonia e a música entre as palavras e os pensamentos, que os poetas tão excelentemente dominam, mas, mais ainda, aquele jeito de, poupando as frases, dizerem muito com suave doçura, obrigando-nos a parar.

Muito obrigado Senhor Professor João de Castro Nunes pela bela lição.

Joao de Castro Nunes disse...

João de Castro Nunes

As suas dadivosas e cativantes palavras, Senhor Professor Alves de Fraga, deixaram-me aturdido e quase me convenceram de que Deus me concedeu o sacro dom da Poesia. Invejoso, Vossa Excelência? Nem por sombras: assombrosamente generoso! Creia-me respeitoso e grato.

Anónimo disse...

CARTA ÀS MINHAS TRÊS FILHAS VIVAS

Antes que soe a hora da partida,
o que suponho seja brevemente,
vos deixo esta missiva redigida
há muito tempo já na minha mente.

Bem casadas vos deixo felizmente
com bons maridos, gente conhecida
no meio oficial correspondente
por seu talento e operosa vida.

Como um suave aroma que respiro,
a qualidade vossa que prefiro
é o vosso culto pela Honestidade.

À vossa quarta Irmão não me refiro,
a chamada Maria da Saudade,
que olhando está por vós na eternidade!

João de Castro Nunes